Os maiores erros estratégicos de marketing que já vi (parte 1)

Os maiores erros estratégicos em marketing digital que participei, presenciei ou estudei. Um guia do que não fazer em redes sociais e outras estratégias.

Aplicar estratégias de marketing digital não é uma tarefa fácil. E vem ficando mais difícil conforme o tempo passa. Vejamos os motivos:

Novas mídias e tecnologias

Conforme o tempo passa mais empresas começam a trabalhar essas estratégias nas mesmas mídias e formatos, o que acaba equalizando o impacto que causa nas pessoas. É um erro estratégico não ter presença onde o seu público está. Por isso é tão importante ser um early adopter de mídias e tecnologias novas que estão surgindo constantemente.

Caso concreto:
IGTV — Mídia dentro do Instagram, plataforma que era marcada pela publicação de fotos, em aspecto diferente do usual para vídeos de um celular em pé (aspecto 9:16). Isso foi um grande problema para produtores de conteúdo, habituados a produzir vídeos em 16:9 (celular deitado). Demandou um esforço imenso de reeditar ou produzir conteúdo voltado para um posicionamento diferente.

Resultado: quem conseguiu se adaptar mais rápido conseguiu engajar ou formar novos públicos com este gap.

Achar que basta ter um bom produto ou serviço
É um erro acreditar que apenas por ter um bom produto ou serviço as pessoas vão comprar ou assinar. Ter um bom produto é o mínimo que você precisa ter para entrar no mercado.


Vamos a um exemplo prático: em praticamente qualquer lugar que você more terá uma dezena ou talvez centenas de pizzarias no entorno. Ainda assim, vale a pena abrir mais uma pizzaria?

A resposta é: depende. Qual é o seu diferencial? Quanto você vai cobrar pelo seu produto? Vai ter qualidade (ou percepção) superior ao dos seus concorrentes? Os ingredientes serão melhores? O atendimento será diferenciado? O produto vai ter algum item exclusivo que de fato gere aumento da percepção de valor do seu cliente? As pessoas estão dispostas a pagar a mais pelo o que seu produto entrega? E quanto você está disposto a pagar pela aquisição de um cliente?


Quando você já tem uma empresa que já possui uma base de clientes isso se torna mais fácil. Os clientes já possuem um relacionamento com a sua empresa, já conhecem o seu produto, já sabe como funciona a logística de entrega, já tem uma expectativa do que vai receber e consegue mapear o custo/benefício, o que encurta a jornada de compra.


Para quem não tem um público formado precisa investir antes de tudo em educação. Mas como assim educação?! Vou ter que pagar uma faculdade?!!


Não! Calma. Quando falamos em educação é sobre informar ao seu público o que ele ganha consumindo o seu produto. Fale das vantagens, dos diferenciais e eventualmente até do preço (se for parte do posicionamento).


Aumente a percepção de valor que o seu cliente tem, eduque-o sobre os benefícios que tem consumir uma pizza com massa de fermentação natural, se você tem uma pizzaria com esse produto. Faça-o enxergar quanto tempo leva para produzir a massa, quanto tempo ela descansa, fale dos ingredientes premium que você utiliza. Faça o seu público ver o porquê o seu produto custa mais caro que os demais e o que você está entregando de diferente para cobrar por isso.

Achar que o design é mais importante que o conteúdo

Esse erro é um dos mais comuns. Geralmente as empresas focam demais os olhos no design e esquecem totalmente do planejamento, da estratégia. Faz anúncio, refaz anúncio, coloca texto, tira texto, coloca imagem, aumenta imagem, trabalha vídeo, muda a mídia de publicação e volta para etapa inicial ou desiste e diz que não funciona.

O resultado é que por melhor que seja o design a campanha não dá certo. A etapa criativa é uma das últimas do processo. Quando é executada como uma das primeiras etapas do processo geralmente dá errado — ou uma baita sorte de acertar.
Então você fica dando tiro no escuro até acertar (e gasta rios de dinheiro com isso) ou desiste.

Não ter as suas buyer personas

Parta do seguinte princípio: venda é a consequência. Antes de fazer a venda você tem que se comunicar com o seu cliente da maneira correta.
— Ah, mas como vou me comunicar da maneira correta?
Em primeiro lugar, saiba quem é o seu cliente. Você pode trata-lo como público-alvo? Pode. Mas é muito melhor ter as suas personas definidas. Se você os tratar como um número no seu negócio eles vão te tratar como mais um fornecedor de commodities na vida deles.
Na primeira oportunidade de substituir a sua empresa por outro fornecedor mais barato ou que ofereça mais vantagens momentâneas eles o farão sem pestanejar. Por que? Por que ele é apenas um número para você. Simples assim. Uma relação comercial seca. Pagou, entreguei. Fim da história.E como mudar isso?


Você não sabe quem é a sua persona? Então você não sabe o que é valor para ela. Como vender algo para alguém que você não conhece? Eis a missão. Entenda seu público, construa as suas personas, faça o seu mapa de valor, um mapa de empatia e comece o seu planejamento de marketing (que nesta fase se funde em partes com o planejamento estratégico)

Se a sua empresa precisa de ajuda com Marketing Digital e Gestão Estratégica de Negócios entre em contato com a gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir WhatsApp
Fale conosco!
Olá! 👋
Podemos ajudar? Clique em Abrir WhatsApp e vamos iniciar a conversa!